Segundo a polícia, ordem para matar motoqueiro em Cruzeiro do Sul veio de dentro do presídio

Vale do Taquari

A Polícia Civil de Cruzeiro do Sul elucidou a autoria de um homicídio ocorrido em agosto de 2015, no interior do município. Na ocasião do crime, um motoqueiro foi morto com dois disparos de arma de fogo. O fato aconteceu nas proximidades da ponte do Arroio Sampaio, na localidade de Bom Fim.

Conforme apurado pelas investigações, a vítima foi chamada para fazer uma “corrida” de moto até Venâncio Aires. Logo após buscar o caroneiro, a poucos metros da sua residência, o motociclista foi alvejado na cabeça.

Segundo a polícia, o autor teria obedecido ordens de um conhecido traficante de Lajeado que, na época, estava recolhido no Presídio Estadual de Lajeado e fez o uso de um celular para chamar a vítima até a emboscada. Ambos eram conhecidos do motociclista, o que motivou a aceitação do frete. Como sabia que estava sendo ameaçado de morte, ele colocava as ligações recebidas do seu aparelho no “viva voz” e familiares escutavam suas conversas. O crime teria sido motivado por um relacionamento que a vítima manteve com a ex-mulher de outro traficante.

O mandante possui antecedentes por roubos, tráfico de drogas e homicídios. No ano passado também foi indiciado por disparo de arma de fogo, após circular um vídeo em que ele aparece efetuando uma rajada com um fuzil AK 47, num campo do Bairro Conservas, em Lajeado.

O traficante estava foragido da Justiça e, em junho deste ano, foi recapturado por agentes da DP de Cruzeiro. Atualmente, ele cumpre pena no regime semiaberto e, desde o dia 3 de outubro, está com autorização para o trabalho externo.

Já o autor, que tem antecedentes por crimes de tráfico e porte de arma cumpre pena no regime fechado do Presídio de Bagé. Ambos foram indiciados pelo crime de homicídio qualificado, pelo motivo fútil e pela emboscada. As penas podem variar de 12 a 30 anos de reclusão. AD

Compartilhe